Um propósito muito valioso

PropósitoUm cervo se olhava numa linda e cristalina fonte, que se encontrava na floresta, feliz admirava os enramados chifres na sua frente, aquilo era o mais belo que o servo tinha, chifres grandes, espetaculares, mas ao acreditar que os seus formosos chifres com as suas pernas tão feias, e começou a reclamar.

 

Ele falava assim: Oh Deus! De que me serve esta linda cabeça se não tenho beleza nas pernas? Oh que pesar! Oh que dor tão profunda!

 

Falando desta sorte ou má sorte segundo o cervo, viu de longe, um cão feroz, que estava cada vez mais perto. Então para evitar a morte, correu bem rápido a parte mais densa da floresta, mas aquilo que o cervo pensava que era o mais formoso nele, era o que precisamente, o que retrasava a sua saída: os seus chifres, já que ficavam enredados nas árvores. Com muita dificuldade se livrou do apuro, então disse com espanto.

 

-Se foi salvo, apesar dos meus chifres, foi por correr tanto, quer dizer graças as minhas pernas, que eu disse que eram feias.

 

De que lhe serviu ao cervo ter lindos chifres e se vangloriar deles? Pelo contrario do que ele pensava, ao invés de ajudá-lo lhe impediam correr mais rápido na procura pela sua salvação.

 

Reflexão:

Assim, com freqüência as pessoas ficam deslumbradas com o formoso, escolhem o que têm aparência e não valoram o que é mais importante. A Palavra de Deus nos diz: Enganosa é a graça, e vã é a formosura” (Proverbios 31:30)

 

Além muitas vezes não entendemos que detrás de cada coisa que Deus faz na nossa vida, ainda pareça que não tem bom gosto para nós, no final, tem um propósito muito valioso.

 

“E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8:28).

 

Deixe uma resposta