A quem buscar?

ConejoUm certo dia, um homem caçava veados na floresta. Com seu rifle em mãos, ia por um caminho de lenhadores. Caia a tarde e ele pensava em retornar ao acampamento, quando ouviu um barulho nos arbustos perto dele. Antes de que tivesse a oportunidade de levantar o rifle, uma coisa pequena foi até ele com muita velocidade.

 

Tudo aconteceu tão rápido, que aquele homem nem teve tempo de pensar. Olhou aos seus pés e lá estava um pequeno coelho encolhido perto dele. Tremia como uma folha, mas ele estava lá sem se mover. Isso era muito estranho… os coelhos silvestres têm medo das pessoas e nem sequer é fácil enxergar algum… muito menos que um venha e se sente aos nossos pés.

 

Enquanto o caçador tentava achar uma explicação para aquilo, outro ator entrou na cena. No caminho apareceu uma doninha e quando viu ao homem (e também ao coelho que considerava a sua presa, sentado nos pés dele) o predador ficou congelado, latejante e com um brilho vermelho nos seus olhos.

 

Então o caçador compreendeu que tinha interrompido um pequeno drama da vida e da morte na floresta. O coelho, exausto pela perseguição, estava a minutos da morte. O caçador era a sua última esperança de refúgio. Esquecendo o seu medo e receio natural, o animalzinho instintivamente tinha se apegado a ele procurando proteção. Aquele homem não o desapontou: levantou o seu rifle, apontou e disparou ao chão bem perto da doninha. O animal ficou apavorado e voltou para a floresta a toda velocidade.

 

Por um tempo, o coelho não se moveu. Ficou lá, deitado entre os pés do homem, enquanto ele falava suavemente: “Eu acho que isso não vai chatear você por um tempo”.

 

Reflexão:

Para onde você corre nos momentos de necessidade, quando você é perseguido por predadores como os problemas, as preocupações e os temores? Quando a fraqueza te embarga e você sente que não pode fugir por mais tempo? Você se volta ao seu protetor que está firme com os braços abertos, esperando pela sua volta e para que você venha a se refugiar na segurança de tudo o que Ele é?

 

Porque Tu és meu refúgio, e torre forte diante do inimigo. Eu habitarei em Teu Tabernáculo para sempre, estarei seguro sob o amparo de Tuas asas. Selá”. (Salmos 61:3-4)

 

Deixe uma resposta