O papel amassado

papel arrugado copyEsta é a história de um jovem e seu sábio conselheiro:

 

Meu caráter impulsivo me fazia ficar com raiva na menor provocação. A maior parte do tempo, após de alguns destes incidentes, eu ficava envergonhado e me esforçava por consolar a quem eu tinha danado.

 

Um dia, o meu conselheiro me viu dar desculpas após duma explosão de ira e me deu um papel liso.

 

Então me disse: -Amasse ele!

Assombrado, obedeci, eu fiz uma bola com o papel.

 

Depois me disse: -Agora deixa como estava antes-. Foi claro que eu não consegui deixá-lo como estava. Por mais que tentei, o papel ficou cheio de rugas.

 

Então o meu conselheiro me disse: – O coração das pessoas é como esse papel. A impressão que você deixa nesse coração que você machuca, vai ser tão difícil de borrar quanto as rugas no papel.

“Ainda que tentemos retificar o erro, já estará marcado”

 

As vezes, por impulso não nos controlamos e sem pensar, jogamos palavras cheias de ódio e mágoa, após, quando pensamos no que fizemos, nos arrependemos. Porém, não podemos borrar o que ficou gravado nas pessoas. O mais triste é que deixamos “rugas” em muitos corações.

 

A partir de hoje, seja mais compreensivo, paciente, mas sobretudo aprende a deixar o orgulho de lado e age de forma corajosa, peça perdão e reconheça o seu erro.

Quando você senta ganas de explodir lembre-se: “O papel amassado”

 

Deixe uma resposta