Os balões

globosNuma certa ocasião, Martin Luther King se encontrava perto de dar uma das suas famosas palestras sobre os direitos humanos, quando notou que um pequeno menino de cor estava na frente do seu auditório.

 

Sentiu-se surpreendido e perguntou a um dos seus ajudantes ao respeito, e este lhe indicou que tinha sido o primeiro a chegar.

 

Quando terminou a palestra se jogaram balões de cores distintas ao céu, os quais o pequeno não deixava de olhar.

 

Isto chamou a atenção de Martin Luther King, que o abraçou e o levantou nos seus braços. O menino o olhou e perguntou se os balões pretos também voavam até o céu, Martin o viu e respondeu: Os balões pretos voam ao céu, não pela cor que tem mas pelo que está dentro deles.

 

Lembre-se disso cada vez que vejas a alguém que intelectual, afetiva ou fisicamente não seja igual a você.

 

Todos temos a mesma dignidade!

 

Realmente um exemplo para não pensar que somos melhores que nenhuma outra pessoa, pois somos criações do mesmo Deus, e ele não faz lixo nem coisas com defeitos.

 

Não acreditemos que uma posição, um sobrenome ou as coisas que possuímos nos fazem mais ou melhores que os outros. Vamos lembrar do exemplo de Jesus, que sendo Deus lavou os pés dos seus discípulos e disse: “quem queira ser o maior, que seja o menor pois é mais importante o que serve que aquele que se senta a comer”.

 

Indubitavelmente, as pessoas valem pela sua riqueza interior e não pelas coisas externas, supérfluas, que possam possuir.

 

Se a beleza do corpo não vai acompanhada pela beleza da alma, nós encontramos ante algo muito imperfeito. A beleza física se corrompe com o passo dos anos; em troca, a beleza do espírito melhora.

 

Os seres virtuosos, com o tempo, acrescentam a beleza da sua alma. E o nível de afeitos todos podemos ser imensamente ricos ou imensamente pobres. Nesse terreno estamos todos iguais.

 

Porque o carinho dos que nos amam não discrimina a condição física nem econômica nem social. Reis e mendigos podem ser amados por igual. E se desde a nossa condição de plebeus, não ostentamos escudos nem títulos nobiliários, no coração de aqueles que nos amam podemos ser reis, príncipes ou simplesmente… o mais importante do mundo.