O naufrágio

naufragioContam que um grande cruzeiro se afundou no meio da noite enquanto todos dormiam. O único sobrevivente desse naufrágio conseguiu chegar até uma pequena e isolada ilha.

 

Todos os dias orava fervorosamente, pedindo a Deus que o resgatara daquela solidão. Cada manhã revisava o horizonte na procura duma barca, mas este nunca chegava.

 

Cansado de não ser resgatado, aos poucos começou a construir uma choça para se proteger e ir guardando as suas poucas possessões. Ao tempo continuava clamando a Deus, mas cada vez estava ficando mais como em casa na sua pequena ilha.

 

Um dia após de andar procurando comida, retornou e achou a pequena choça em chamas, a fumaça subia até os céus. Tinha perdido a sua casa e as suas pertenças.

 

O naufrago estava confundido e chateado com Deus e chorando dizia: “Como o Senhor pode me fazer isto? Porque tem se tirado o último que restava para mim? Desesperado, já somente queria morrer e ficou dormido sobre a areia.

 

Quando despertou no dia seguinte lhe pareceu ouvir o som dum barco que estava próximo da ilha. E na verdade, quando ficou de pé viu um grande navio que estava perto.

 

Por fim vinham a libertá-lo e quando subiu no barco lhes perguntou as suas reclamações: Como sabiam que eu estava aqui?

Eles contestaram: “Nós vimos os sinais de fumaça que você fez…”

 

Reflexão:

Quantas vezes por causa dum problema, as pessoas perdem a fé, culpam a Deus e ficam desesperadas sem perceber que, justamente nas dificuldades, nos momentos mais difíceis da vida, é nos que Deus manifesta o Seu poder na vida daqueles que acreditam.

 

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor” (Isaías 55:8)

 

Deixe uma resposta