Confiança

ConfianzaJean François Gravelet-Blondin 1824 – 1897, foi um equilibrista de corda bamba e acrobata francês, nascido em St Omer, França, conhecido também por Charles Blondin.

 

Aos cinco anos de idade o enviaram a 1’ École de Gymnase em Lyon e depois de seis meses de treinamento como acrobata, realizou sua primeira aparição em público como “A Pequena Maravilha”. Sua consumada habilidade e delicadeza como também sua originalidade na composição dos atos prontos o converteu em um favorito do público.

 

No ano de 1859 Charles Blondin, se preparava para tentar sua maior façanha, cruzar a garganta das Cataratas de Niágara caminhando sobre uma corda na altura de 50 m sobre a água. O trajeto era de 335 m de distância. Estendeu um cabo de aço de duas polegadas sobre as Cataratas e o dia anunciado uma grande multidão se congregou para observar a façanha do equilibrista.

 

Começou o espetáculo e Blondin realizou a travessia em várias oportunidades e de distintas maneiras; com os olhos vendados, dentro de uma bolsa, com perna de pau, arrastando um carrinho de mão…

 

Suas atuações eram observadas por milhões de visitantes que admiravam cada movimento.

 

Logo o equilibrista se dirigiu ao público presente:

 

Quantos de vocês creem que posso cruzar as cataratas com um homem dentro do carrinho de mão?

 

Todos responderam afirmativamente.

 

Então Blondin perguntou: Bem, quem de vocês se anima? Quem subirá nesse carrinho de mão e vai me permitir que o leve ao outro lado das Cataratas?

 

Todos ficaram em silêncio que não se podia escutar nem as batidas de um só coração. Todos desejavam ver a Blondin levar a uma pessoa sobre seus ombros, porem ninguém desejava arriscar sua vida nas mãos de Blondin.

 

Entre a multidão, um homem levantou a mão e disse:

 

– Eu quero cruzar contigo, estou disposto a colocar minha vida em tuas mãos.

 

Quem foi esse indivíduo? Harry Colcord, Gerente de Blondin, quem o conhecia a muitos anos.

 

Ao se preparar para cruzar as Cataratas, Blondin falou a seu chefe:

 

-Não deves confiar em teus próprios sentimentos, e sim em mim. Sentirás que temos que virar quando não há que fazer, se confias em teus próprios sentimentos, ambos iremos cair. Deves fazer parte da minha pessoa, em todo o trajeto os dois devemos ser uma mesma pessoa. A recomendação serviu para que ambos chegassem ilesos a outa beira das Cataratas.

 

Cada ser humano somos parte da multidão desse mundo, que aplaude a Deus em todo momento, porém poucos são capazes de colocar sua vida nas mãos dEle e confiar plenamente.

 

O Senhor Jesus, é o único que pode nos levar a outra beira, se confiamos Nele, ainda nos momentos mais difíceis sempre estaremos seguros; encontraremos a paz, o amor, a felicidade e a vida com abundância que Deus prometeu em Sua Palavra.

 

Deixe uma resposta